cidadegospel

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Presidente de sindicato denuncia a participação de policiais no transporte clandestino em Feira de Santana

O transporte clandestino de passageiros em Feira de Santana foi um dos assuntos discutidos pelo radialista Carlos Geilson, no programa Jornal Transamérica, na Transamérica FM, desta quarta-feira (7), com a participação de Liomar Ferreira, presidente do Sindicato dos Taxistas (Sincaver). Ele deu as boas vindas ao novo secretário de Transportes e Trânsito (SMTT), capitão da PM, Saulo Pereira e agradeceu ao antecessor, coronel Pedro Boaventura, pela atenção aos taxistas e ‘pelo seu esforço no combate ao transporte ilegal’.

Questionado sobre a nomeação de mais um militar para dirigir a pasta, Liomar lembrou que essa prática já vem de outros governos e continua na atual gestão. O presidente do sindicato dos taxistas frisou ainda que mesmo após a fiscalização do trânsito ter deixado de ser uma das funções da Polícia Militar, no âmbito do estado, esse entendimento foi transferido para a Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito.

“Não sei o porquê dessa opção, que já não vem desse governo, já vem de outros governos, acho que foi lá, com José Falcão. Primeiro trouxe aquele coronel José Luís, um coronel do exército e depois veio o coronel Cajazeiras. Se a gente fosse enumerar os coronéis que já passaram por essa secretaria nas últimas duas décadas daria um batalhão grande”, observa.

O  transporte clandestino de passageiros em Feira de Santana também foi citado por Liomar Ferreira, quando se referia às nomeações constantes de militares para a SMTT e denunciou que existem policiais fazendo ‘ligeirinho’ na cidade.

“Grande problema que nós temos no combate à clandestinidade é que boa parte daqueles que operam na clandestinidade são militares. Não sei se vocês têm conhecimento, deve ter, mas há policiais militares que são proprietários de veículos, que são de vez em quando não, são flagrados com frequência fazendo atividade de transporte de ligeirinho, não só aqui, no Brasil todo. É impossível você começar uma atividade dessa, chamada ilegal, que não tenha por trás parte de alguns militares que entendem de usar isso como um ‘bico’, como uma complementação do seu salário, independentemente de que haja esse entendimento da ilegalidade da atividade que eles estejam exercendo (sic)”, disse Liomar.

Ainda segundo Liomar, o entendimento do governo sobre um militar para comandar a SMTT é que ele vai saber lidar com esse problema, mas na prática não tem acontecido. Ele frisou que o transporte clandestino não é apenas em Feira de Santana, mas espera que o novo secretário faça um bom trabalho.

Blog Central de Polícia, com informações do Jornal Transamérica e imagem reprodução.

Nenhum comentário:

Postar um comentário