cidadegospel

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

SMTT vai registrar ocorrência sobre disparo de arma de fogo durante fiscalização

A Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito vai registrar uma ocorrência na delegacia da Polícia Civil acerca do disparo de arma de fogo ocorrido na manhã desta quarta-feira, 25, durante uma ação de fiscalização contra o transporte clandestino de passageiros. O fato ocorreu quando um veículo, apreendido após flagrante, era conduzido do bairro Sobradinho para o pátio da SMTT, no bairro Caseb. 

De acordo com o secretário Pedro Boaventura, o disparo ocorreu após um grupo de pessoas que praticam o transporte irregular interceptar a equipe de fiscalização. "Inesperadamente se ouviu um estampido. Posteriormente foi noticiado que um homem deu entrada no Hospital Geral Clériston Andrade por ter sofrido um ferimento superficial", relata.

O secretário diz que os integrantes da equipe foram chamados para esclarecer o fato e negaram terem efetuado qualquer disparo. "Eles inclusive se disponibilizaram a realizarem qualquer exame que verifique se dispararam arma de fogo durante a ação", ressalta. Boaventura diz que já entrou em contato com a Polícia Civil e a ocorrência será registrada nesta quinta-feira. 

MANIFESTAÇÃO

Após a apreensão do veículo durante a ação da SMTT, um grupo de 50 pessoas iniciou uma manifestação na avenida João Durval, em rumo a sede da Secretaria de Transporte e Trânsito. A Polícia Militar foi acionada e os manifestantes se dirigiram para o Terminal de Transbordo Central, onde queimaram pneus e impediram a entrada e saída de ônibus durante algumas horas. Após negociação, a situação foi normalizada.

O secretário observa que a intensificação das ações de fiscalização gera insatisfação por parte dos praticantes do transporte clandestino. "Entretanto esse trabalho vai continuar e sendo cada vez mais intensificado. É um tipo de transporte que coloca em risco a integridade física de quem utiliza. E conforme tem sido noticiado na imprensa, é também uma das vertentes usada para a criminalidade em nossa cidade", pontua Boaventura. 

Secom, com imagem reprodução



Um comentário:

  1. Que risco o ligeirinho oferece?

    Nos cidadãos corremos riscos nesses ônibus seper lotados que nao tem espaço nem pra respirar e sem falar nas irresponsabilidade dos motoristas que dazem mandobras arriscadas e nao respeitam ninguém no trânsito. A verdade de tudo isso nao e visar a segurança das pessoas que utilizam esses transportes irregulares mas sim a lucratividades das empresas de ônibus, nos nao temos direito de escolha temos que fazer o que vcs querem somos obrigados a viver do jeito que vocês mandam, eu pego ligeirinho mesmo mesmo que a passagem seja mais cara, a população de feira de santana tem que ir as ruas também lutar pelos seus direitos mas claro de forma pacífica. E também é um roubo aumentar a passagem para 3,65 pois os ônibus nao sao de qualidade e pra completar somos obrigados a pagar e ainda ter que ficar horas no ponto de ônibus e ainda quando o ônibus vem chega super lotado.

    ResponderExcluir