cidadegospel

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Família defende acusado de matar a mãe e cobra justiça

Familiares de Edmilson Moreira Júnior, 20 anos, que está preso acusado de ter provocado a morte da mãe Solange Mabel Reis Oliveira, 66 anos, estiveram na manhã desta quarta-feira (24), no Complexo de Delegacias do Sobradinho, onde prestaram depoimento e alegaram para a polícia e para a imprensa que o jovem é inocente. A idosa foi encontrada morta dentro de casa, na rua B, do conjunto Feira X, na manhã do último domingo (21).

A versão contada pela polícia informa que Edmilson teria chegado de madrugada em casa e alcoolizado discutiu com a mãe, tendo empurrado a idosa, que caiu batendo a cabeça no chão. Entrevistado pelo repórter Carlos Valadares, Edmilson negou a agressão contra a mãe e contou que após chegar em casa, subiu para seu quarto que fica no andar superior, deixando a mãe varrendo a varanda, como costumava fazer. Ele acredita que ela tenha caído, por causa da idade e de problemas de saúde.

De acordo com a esposa e as três irmãs de Edmilson, ele é inocente e não acreditam que tenha cometido o crime contra a própria mãe. A irmã Iara de Oliveira Souza corroborou com a declaração do irmão sobre os problemas de saúde da mãe. “Ela era hipertensa, tinha diabetes, e tinha sofrido um derrame e ficado com um lado esquecido. Júnior é um bom irmão e sempre cuidou da mãe dele, sempre deu carinho e atenção. Jamais faria uma coisa dessas”, defendeu.

Questionada sobre gritos que teriam sido ouvidos por vizinhos, Iara relatou que a denúncia partiu de uma vizinha que mora do outro lado da rua e não tinha condições de ver se algo estava acontecendo.  “Ela disse que ouviu gritos por volta das 2 horas da manhã, sendo que ele (Edmilson) estava na avenida, temos prova disso. E quando o vizinho ligou que o corpo dela estava no chão, ligaram pra minha irmã, ela não conseguiu abrir o portão. Meu irmão chegou da micareta 4 horas da manhã, ela abriu o portão e ele entrou. Ele estava dormindo na parte de cima, e não ouviu ela cair. Quando ele viu, que minha irmã gritou e ele viu minha mãe no chão, ele se desesperou e ficou sem saber o que fazer”, contou a irmã.

Ainda de acordo com Iara, consta na declaração de óbito  que a idosa morreu em decorrência de hipertensão intercraniana. “O cérebro dela aumentou a pressão e ela teve a tontura. Nós viemos depor a favor do nosso irmão, porque a gente conhece a índole dele, apesar de já ter tido passagem pela polícia. Só prenderam meu irmão porque o viram com sangue. Minha irmã também ficou porque teve que arrastar o corpo dela”, disse Iara.

Blog Central de Polícia, com informações e foto de Sotero Filho.




Nenhum comentário:

Postar um comentário