cidadegospel

quinta-feira, 3 de março de 2016

Conjunto Penal de Feira terá detector de metais para revistas de visitantes

O Conjunto Penal de Feira de Santana terá uma maior rigidez com relação a revistas de visitantes. Segundo o diretor adjunto do Presídio, Nilson Ribeiro, a unidade receberá equipamentos e os agentes penitenciários passarão por uma qualificação para atuar com os aparelhos.

“Vamos treinar esse pessoal para o uso de equipamentos tecnológicos que serão utilizados na visita a partir de agora: scanner de mercadorias, de objetos; os portais; os bancos onde as pessoas sentam também para fazer a revista e as raquetes. Esses são os equipamentos que recebemos da Secretaria de Administração Penitenciária para equipar nossa equipe dessas ferramentas”, explicou.

Para Nilson, a medida não só inibirá a entrada de objetos proibidos como armas e telefones celulares, como também dará uma maior agilidade ao procedimento de revista. “Não só inibir como também dar uma agilidade ao processo de entrada dessas visitas. Hoje aproximadamente temos 700 pessoas entrando nas visitas de quinta e domingo. Nosso efetivo, por conta da saída de alguns profissionais do Reda, está deficitário, e esses equipamentos vão ajudar a agilizar as visitas”, ressaltou.

O treinamento estará disponível para todos os servidores do Conjunto Penal. “A ideia é que todos os servidores tenham esse treinamento. Aqueles que não quiseram, não podemos fazer nada, mas vamos oferecer para todos”, pontuou.

Os equipamentos já se encontram no presídio, em uma sala onde ocorrerá o treinamento. O diretor adjunto do Conjunto Penal ressaltou que a capacitação será realizada em Feira de Santana, não sendo necessário que os servidores se dirijam à capital baiana.

“Esse treinamento será aqui em Feira de Santana mesmo, a secretaria solicitou servidores, encaminhamos dois servidores que tomaram o curso e eles replicarão esse conhecimento para os nossos servidores”, informou.

Questiodo se ainda será necessário que os visitantes tirem as roupas para a revista, a chamada revista íntima, Nilson explicou que isto permanecerá, pelo menos por enquanto. “Os equipamentos que recebemos ainda não são para revista corporal para que esse procedimento anterior seja extinto totalmente, é apenas o detector para metais e a esteira raios-X para os objetos e mercadorias que adentram a unidade”, destacou.

Fonte: portal Bom Dia Feira.

 




Nenhum comentário:

Postar um comentário